quarta-feira, 17 de setembro de 2014

RPG Licenciado Favorito - #RPGaDay

Vamos lá, está quase acabando as postagens temáticas do Blog Fest #RPGaDay. Hoje o assunto é "Meu RPG Licenciado Favorito". Explicando melhor, um RPG licenciado é aquele que pega uma franquia famosa (às vezes nem tanto) e a transforma em um jogo de criar e vivenciar histórias. Como exemplos nós temos os vários RPGs do universo Star Wars, os RPGs dos heróis da Marvel, os RPGs do mundo do Senhor dos Anéis e por aí vai.

Eu admito que não costumo curtir tanto esses jogos, pois costumo preferir jogar dentro de um universo próprio, criado na mesa de jogo, onde todo mundo vai criando e descobrindo o cenário aos poucos. Porém, recentemente, vários desses jogos foram lançados e alguns deles são muito bons e trazem uma abordagem mais solta desses universos. Temos um jogo novo para o Star Wars, Firefly, Terra-Média, Marvel e outros. E gente, todos eles muito bons! Dá vontade de falar sobre todos!

terça-feira, 16 de setembro de 2014

Lidando com Novos Jogadores

Os Padawans do RPG
Uma coisa que todo mundo (assim eu espero) está atrás é de novos jogadores, seja porque queremos jogar mais e não temos jogadores suficientes ou mesmo porque queremos atrair novos praticantes para o nosso amado hobby. Mas atrair e manter esses jogadores em uma mesa pode ser algo bem mais trabalhoso que a gente imagina.

Pensando nisso, tentei pensar em alguma dicas para ajudar Mestres e outros jogadores a torna a experiência desses iniciantes mais agradável, aumentando a probabilidade dos mesmos voltarem a jogar e continuar na campanha. São dicas aparentemente bastante simples mas que se esquecidas por alguém do grupo pode deixar essas novas pessoas desconfortáveis e isso não pode acontecer. Afinal, a primeira impressão é a que fica, né?

segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Um jogo que ainda jogarei daqui a 20 anos - #RPGaDay

Com o mundo globalizado que temos hoje e com a possibilidade de ler livros em outras línguas sem muitas dificuldades, é fácil nos vermos soterrados e enfeitiçados pelas enxurradas de novidades que aparecem a cada dia. Todo dia que eu abro o RPGNow para ver as novidades eu me reparo com, pelo menos, um jogo novo e, muitas vezes, me vejo interessado em testar essas novidades.

Mas o quanto dessa nova geração de jogos a gente joga pelo prazer da novidade e quanto disso são jogos realmente inesquecíveis e marcantes que continuaremos a jogar por mais 20 anos? Sinceramente, eu não faço ideia. Mas eu gosto de pensar que a imensa maioria dos jogos que eu jogo constantemente eu ainda vou querer jogar daqui a 20 anos. Aliás, algo que me passa pela cabeça agora que estou com 30 anos é: Será que eu vou querer jogar esse jogo com o meu filho ou filha? Será que esse pode ser um RPG que ele ou ela vai conseguir mestrar e jogar sozinho?

domingo, 14 de setembro de 2014

Reporte de Sessão - "The One Who Watches from Below" no Saia da Masmorra

Como acontece tradicionalmente todo mês aqui no Rio de Janeiro, ontem rolou mais um encontro de RPG do grupo Saia da Masmorra. Para quem não conhece, esse grupo promove encontros mensais entre jogadores de RPG incentivando jogos mais antigos, mais independentes, mais desconhecidos, evitando grandes nomes da "indústria" como D&D, Storyteller, GURPS e outros. O objetivo é fazer as pessoas experimentarem coisas novas e diferentes e é por isso que este é meu encontro favorito por aqui (sem falar que o pessoal do encontro é super gente fina).

O plano esse mês era levar o Edge of the Empire (o novo RPG da franquia do Star Wars) mas como eu li ele ano passado, estou relendo o monstrinho para me lembrar de tudo. Então eu resolvi levar um jogo que já está no meu sangue e posso conduzir facilmente: +Dungeon Crawl Classics Role Playing Game! Dessa vez levei uma aventura bem legal chamada "The One Who Watches from Below" que tem um climão de horror lovecraftiniano forte e poderia muito bem ser uma das aventuras do Conan em que ele encontra seres antigos e alienígenas que fogem de sua compreensão.

sexta-feira, 12 de setembro de 2014

Sendo um Jogador Melhor - 6 Coisas que Você Deve Fazer!

Ao contrário do que muitos pensam, a responsabilidade por um jogo bem sucedido e divertido recai não só nas costas do Mestre do Jogo mas, em grande parte também, nos jogadores e como eles conduzem seus personagens dentro do jogo. Afinal, o jogo existe em função deles e sem sua cooperação e, porque não, ação, o jogo não existiria.

Assim, para tentar ajudar os jogadores a assumir essa responsabilidade e fazer bonito na mesa, a séria "Sendo um Jogador Melhor" foi criada. A postagem de hoje, particularmente, vem trazendo algumas dicas sobre o que fazer com o personagem durante o jogo. São dicas simples mas que podem fazer a diferença entre um jogo qualquer e um jogo fantástico que será lembrado por anos. Elas são breves e não requerem muito esforço, apenas uma reflexão.

quarta-feira, 10 de setembro de 2014

Minha Aventura Pronta Favorita - #RPGaDay

Se eu estivesse escrevendo essa postagem há uns 5 anos, provavelmente eu diria que não gosto de aventuras prontas, que elas são para mestres sem criatividade e que um bom e verdadeiro DM cria suas próprias aventuras. O quão tolo eu era (e provavelmente ainda sou em muitas coisas). Hoje em dia esse material é um dos que mais procuro, principalmente quando são nos moldes dos módulos antigos que descrevem um local ao invés de uma série de eventos programados.

A verdade é que nós somos um só. Não importa o quão inteligentes, criativos, cultos, inspirados que nós sejamos, somos um só e temos um número limitado de experiências. Outras pessoas, no entanto, tem uma série de outras visões e ideias que nunca teríamos ou, se tivéssemos, vários detalhes seriam diferentes. Aliando isso à minha crença de que variação e quebra de paradigmas são muito importantes para se contar um história e manter a mesa divertida, usar aventura de outras pessoas é algo que aprendi a gostar muito com o passar do tempo.

terça-feira, 9 de setembro de 2014

Motivações para Personagens

Criar personagens, sejam dos jogadores, NPCs, Monstros, Vilões ou qualquer outro tipo de indivíduo para sua mesa de jogo vai muito além de definir os números, estatísticas, magias, tesouros e quantidade de pontos de experiência. Personagens, seja eles quais forem, são atores importantes na história que se desenvolve durante o jogo e, sendo assim, precisam de algo além de regras para funcionar efetivamente e se tornaram "reais" no mundo de jogo.

Uma dessas coisas, sem dúvida, é uma motivação: aquilo que move o indivíduo e explica o porquê dele fazer o que faz. Afinal, por que alguém abandonaria a pacata vida de um homem comum para adentrar catacumbas cheias de mortos-vivos que podem sugar sua alma apenas com um olhar? Ou mesmo, por que uma pessoa se torna um vilão? As motivações são as respostas a essas perguntas e ajudam tantos os jogadores quanto os mestres a interpretar melhor os personagens. Sabendo o que move o coração do personagem, decidir como eles agem, o que eles fazem e como se posicionam se torna muito mais fácil.