sexta-feira, 31 de outubro de 2014

Resenha - Once Upon a Time - Jogo de Cartas Narrativo de Contos de Fadas

Era uma vez uma menina órfã que vivia numa grande cidade. E nesta cidade tinha um monstro que vivia escondido nos esgostos. Esse monstro se sentia muito sozinho e viu na menina, que também não tinha amigos a oportunidade de encontrar uma alma amiga...

E assim vai se formando uma história com o premiado jogo de cartas narrativo Once Upon a Time, da Atlas Games. Cada jogador contribui e constrói em cima do que é criado antes a fim de formar um divertido e interessante conto de fadas, com direito a monstros, bruxas, dragões, princesas e tudo mais.

O objetivo do jogo, acima de tudo, é criar e contar uma história satisfatoriamente utilizando as cartas que apresentam elementos narrativos típicos de contos de fadas. Existem cartas de história, que trazem esses elementos para contar um narrativa, e cartas de final, que cada jogador recebe uma e tenta levar o jogo em sua direção. O jogador que usar todas as suas cartas e conseguir terminar a história com sua carta de final (fazendo sentido, obviamente) vence o jogo.

quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Esquema de Aventura - O Baile dos Mortos

Minha campanha de Bruxos & Bárbaros anda meio lenta mas, recentemente, o grupo terminou outra aventura criada por mim mesmo naquele estilo "breves anotações e improvisação com base nelas". Depois de lidarem com o Culto do Príncipe do Abismo em Mezanthia (que tem esse esquema de aventura aqui), eles aceitaram um novo trabalho: Recuperar uma antiga harpa zartariana que o lorde Mihael acredita ficar em umas ruínas a oeste da cidade, nos pés das Montanhs Escuras.

A ideia era preparar uma aventura diferente para os jogadores e bem no clima Weird Fantasy, com oportunidade para roleplay, intriga e resolução dos problemas sem, necessariamente, ter que partir para "porrada". A tal harpa está em uma ruína amaldiçoada pelo espírito de uma antiga nobre zartariana que viveu lá milhares de anos atrás. Assim que os jogadores adentrassem o local, eles seriam levados de volta no tempo para o dia em que a maldição foi posta sobre o lugar e teriam que tentar resolver o problema de forma a quebrar a maldição para saírem de lá com o que vieram buscar. Abaixo apresento as minhas anotações no esquema que ensinei a fazer nessa postagem.

terça-feira, 28 de outubro de 2014

Reporte de Sessão - Edge of the Empire no Saia da Masmorra

No sábado, dia 11 de outubro desse ano, eu fui ao Saia da Masmorra para mestrar uma aventura do novo RPG do Star Wars, o Edge of the Empire. Para quem não conhece ainda, esse é um dos novos RPGs (todos usando o mesmo sistema) da franquia do universo criado por George Lucas lançado pela Fantasy Flight Games no ano passado. Quem quiser conferir uma resenha completa do jogo (em três partes) é só ir nesse link.

Pois bem, no encontro tivemos 4 jogadores que escolheram forma a tripulação com 4 personagens: Gavon Nah, um Fringer sobrevivente usuário da força; Misla Nah, sua irmã caçadora de recompensas que saiu da guilda para proteger seu irmão; Kreet, um Rodian contrabandista que deve bastante dinheiro a um Hutt; e Darius Saiut, um Slicer Bothan que foi traído por um rival e quase pego pelo Império por traição.

O jogo começou com o grupo em Bespin, em um cassino chamado Dragão de Bespin, onde eles encontrariam o Devaroniano Trevon para entregar uma carga de produtos químicos proibidos e pegar o pagamento combinado. Acontece que um dos jogadores, o que controlava o Rodian Kreet, talvez não entendendo um pouco o clima do jogo, anunciou para todos que eles estavam com um carregamento de drogas e que era para todo mundo experimentar e ficar "doidão".

domingo, 26 de outubro de 2014

O meu RPG favorito de todos os tempos - #RPGaDay

Finalmente cheguei na última postagem do blogsfest #RPG a day, mesmo com, sei lá, 2 meses de atraso! Hoje vou falar sobre o meu RPG favorito de todos os tempo e porque eu gosto tanto dele assim. Eu gosto de muitos jogos diferentes mas tem um que eu coloco acima de qualquer outro. Aliás, vocês até já devem saber qual é, né?

É o Dungeon Crawl Classics Roleplaying Game (DCC RPG)! Este RPG, para mim, me fez redescobrir os jogos de fantasia clássicos e me fez sentir como se estivesse jogando RPGs pela primeira vez novamente. Tudo é novo, fantástico, esquisito e emocionando novamente. Este jogo, lançado em 2012 faz um resgate da fantasia pulp praticamente esquecida nos últimos 20 anos e utiliza um sistema bastante simples e apropriado para aventuras, um jogo ao mesmo tempo familiar e surpreendentemente inovador.

Algumas pessoas podem achar que o DCC RPG utiliza o d20 system (porque, afinal, ela usa um dado de 20 faces para resolver a maioria dos rolamentos) mas ele não é. Este jogo tem um sistema próprio que parte de uma base do d20 system extremamente simplificado (sem skills, sem feats, sem prestige classes, sem inflação de números) e acrescenta elementos novos, mais caóticos e que inserem surpresas ao longo do jogo, mantendo-o sempre desafiador e com bastante espaço para criatividade e descobertas novas.

sábado, 25 de outubro de 2014

Gerador de Aventuras para Edge of the Empire (Fronteiras do Império)!

Eu sei que eu posso ser uma exceção entre tantos RPGistas, mas eu amo tabelas. Não tabelas de regras e tal, mas tabelas de elementos que podem contribuir para criar coisas. Tipo tabela para gerar características físicas de NPCs, de lugares e outras coisas. Acredito que elas podem ser um trampolim para a nossa criatividade muito efetivas.

Por causa disso, há algum tempo, eu publiquei por aqui um Gerador de Aventuras de Espada & Feitiçaria (que inclusive faz parte do texto do meu RPG Bruxos & Bárbaros) que agradou muita gente e já me ajudou a criar algumas aventuras algumas vezes. Acho ele particularmente útil para gerar vários esquemas e colocá-los em vários lugares pelo mundo dando diversas opções e ganchos paras os jogadores perseguirem como quiser. Foi então que reparei que o Edge of the Empire, o RPG da linha nova do Star Wars que foca no submundo da galáxia, poderia se beneficiar bastante com uma ferramenta dessas que gerasse "trabalhos" para o mestre ir espalhando por aí ou apresentando aos jogadores.

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Dungeon Crawl Classics RPG - Ficha Feita a Mão e em Português!

Fala gente, tudo certo? Não sei se vocês lembram mas um tempo atrás eu postei por aqui uma ficha de personagem que fiz para o Dungeon Crawl Classics RPG, o RPG de fantasia pulp da Goodman Games. Só que na época eu só preparei uma versão que era em inglês e prometi uma em português para "breve". Bem, o breve chegou. Abaixo reproduzo texto da postagem original e, no final, coloco o link para a ficha em português que vou usar lá no World RPG Fest!

Acho que quem já conhece esse blog há algum tempo percebe que eu gosto bastante de fazer uma fichas de personagens para os meus RPGs favoritos que seja mais... "autorais". Como eu gosto de desenhar e às vezes as fichas de alguns RPGs não são muito atraentes ou mesmo não possuem tudo que eu posso querer delas durante o jogo, eu me debruço sobre o problema e tento resolvê-lo da minha maneira. O que, eventualmente, resulta em uma nova ficha de personagem que eu compartilho por aqui. 
Eu nem sei se vou me lembrar de todas que eu já fiz para colocar por aqui. Mas eu já fiz uma para Barbarians of Lemuria; uma para o simples e divertido X-Plorers; outra para o nosso Retro-Jogo nacional, o Old Dragon; uma para minha edição favorita de Dungeons & Dragons (D&D B/X); fiz também para o RPG de sobrevivência zumbi do John Wich, o Shotgun Diaries; uma para o meu RPG da Terra-Média favorito, The One Ring; e, é claro, um para o meu Bruxos & Bárbaros. Mas sempre faltou fazer a ficha para, talvez, o meu RPG favorito: Dungeon Crawl Classics RPG

terça-feira, 21 de outubro de 2014

O RPG mais raro que tenho - #RPGaDay

Penúltima postagem para o antigo blogfest #RPGaDay! Hoje vou falar um pouquinho de um dos RPGs mais raros que eu tenho por aqui. Acredito que eu tenha uns exemplares bem difíceis de encontrar, mas não saberia o quão raros cada um deles é, por isso vou escolher um jogo do qual eu ainda não tenha falado nessas séries de postagens.

Então, a minha escolha foi a de falar sobre outro RPG da TSR do início dos anos 80, o GangBusters! Lançado em 1982 em um Boxed Set (que bela tradição que se perdeu com o tempo), esse RPG foca no tema da criminalidade nos Estados Unidos nos anos de 1920, com personagens sendo criminosos, gangsters, policiais, investigadores, repórteres e coisas do tipo. Imagine o RPG do filme "Caça aos Gangsters" e você já tem uma ideia.

Como de costume, na época, a criação dos personagens tinha elementos aleatórios associados a escolhas com base nesse sorteio. Os atributos são modificados de forma temática para o jogo (como Músculos, Direção e Sorte) e são gerados com o auxílio de dados (esse jogo utiliza dados de 10 faces apenas e é baseado em porcentagens). A partir daí, cabe aos jogadores a escolha de uma carreira (que funciona como classe de personagem). As carreiras básicas disponíveis são: Policial, Criminoso, Repórter, Agente do FBI, Agente da Proibição e Detetive Particular. Cada classe, claro, possui habilidades únicas e fraquezas que as diferenciam e ditam o tipo de história que vai rolar no jogo.